Consciência da morte e a lucidez

domingo, 14 de agosto de 2011
"A consciência da morte nos dá uma maravilhosa lucidez. (...) O fato é que, sem que o saibamos, todos nós estamos enfermos de morte e é preciso viver a vida com sabedoria para que ela, a vida, não seja estragada pela loucura que nos cerca." (Rubem Alves)

Olá Blogueiros,

Apesar do atual estado "zen" de espírito, tenho vivido dias de constantes oscilações, o que me faz repensar muito minha vida.

Crescer dói.

Descobrir algumas verdades que vc se nega a crer, dói ainda mais.

As pessoas mentem, e mentem o tempo todo. Juro que isso não entra na minha cabeça.
Oras, porque mentir? Pra quê enganar? Pra quê vestir uma máscara, a fim de burlar seu próprio eu?
Que tipo de pessoa é vc que não tem coragem, nem mesmo, de se enfrentar? De se olhar no espelho?

Gente, como pode ser isso?

Sei lá...
Sempre aprendi a dizer a verdade, a assumir as consequências, a ser sincera e leal, mas que praga é essa que me rogaram e que só me traz pessoas falsas, mesquinhas, egoístas, mentirosas e hipócritas?

E o pior de tudo: como é que me deixo enganar?
Por acaso existe algum sensor, um alerta, um alarme que soa quando pessoas ruins, do tipo "lobo em pele de cordeiro" se aproximam?

Existe?!

Se houver, EU QUERO! Quero comprar logo uma penca dessa parafernália preventiva, isso sim.

Comecei a ler "Variações sobre o prazer" de Rubem Alves essa semana, e estou amando. A citação de hoje, foi extraída justamente desse livro.


Gosto de ler, e quando vejo e sinto minh'alma conversando com o autor, gosto ainda mais, e com Rubem Alves não tem sido diferente.

A ideia da "consciência da morte" vinculada diretamente a "lucidez" é algo desafiador. E como mencionado alhures,  o fato é que, sem que o saibamos, todos nós estamos enfermos de morte e é preciso viver a vida com sabedoria para que ela, a vida, não seja estragada pela loucura que nos cerca.

A loucura que nos cerca, nos adoece. Nos mata, paulatina e sutilmente e eu não quero mais viver assim.


Quero ter consciência da morte, para dar valor somente ao que importa, para aproveitar melhor o meu tempo e me dedicar àquilo e, àqueles, que são essenciais.

A vida não é fácil e as pessoas, são quase impossíveis, mas não vale a pena viver pensando e sofrendo invariavelmente por isso.

Tô tentando mudar.

Tô tentando me libertar das dores e decepções.

Eu só quero viver minha vida com sabedoria, a fim de evitar a ruína pela loucura que me cerca.

Sabedoria amigos, para todos nós.

Bjo, bjo

1 comentários:

Mah Silveira . Says:
16 de agosto de 2011 20:14

Oi Sarah! Vi seu comentário no meu post! Pode publicar meu texto sim =) Aí, qdo postar me avisa no meu blog pq eu raramente estou entrando nele!
Obrigada viu? Beijos!
www.fragmentosdamah.blogspot.com