0 E o que eu quero? Orientação.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011
"E é também porque sempre fui de brigar muito, meu modo é brigando. É porque sempre tento chegar pelo meu modo. É porque ainda não sei ceder. É porque no fundo eu queria amar o que eu amaria - e não o que é. É também porque eu me ofendo a toa. É porque talvez eu precise que me digam com brutalidade, pois sou muito teimosa. É porque sou muito possessiva e então me foi perguntado com alguma ironia se eu também queria o rato para mim. Talvez eu me ache delicada demais apenas porque não cometi os meus crimes. Só porque contive os meus crimes, eu me acho de amor inocente. Talvez eu tenha que chamar de “mundo” esse meu modo de ser um pouco de tudo. Eu, que sem nem ao menos ter me percorrido toda, já escolhi amar o meu contrário (…). Eu que jamais me habituarei a mim, estava querendo que o mundo não me escandalizasse. Porque eu, que de mim só consegui foi me submeter a mim mesma, pois sou tão mais inexorável do que eu, eu estava querendo me compensar de mim mesma com uma terra menos violenta que eu."

(Clarice Lispector - do Livro: Felicidade Clandestina)

Boa noite Blogueiros,

00h57min, e eu tenho tanta coisa pra falar, mas não sei por onde começar.
Acho que essa tem sido a grande dificuldade enfrentada nos últimos dias: linearidade. Ou melhor, falta dela.
Não tenho agido, pensado ou sentido linearmente, está tudo em completa desordem.

Tudojuntoemisturado#

A "tarefa" da semana, indicada pela Dra. Jolie¹ consiste justamente nisso, tentar enxergar o que eu quero agora, "que rumo devo tomar", o que é mais importante nesse momento.

O que é mais importante para mim hoje?
O trabalho. Definitivamente.
Adoro o que faço. Advogar é minha grande paixão, e quanto mais me dôo, mais recebo. Isso sim é uma relação justa! rsrsrs.

Agora, que rumo devo tomar... Bem, isso já é um pouco mais complicado.
Me sinto perdida apesar de sempre buscar orientação.
"Porque eu, que de mim só consegui foi me submeter a mim mesma, pois sou tão mais inexorável do que eu, eu estava querendo me compensar de mim mesma com uma terra menos violenta que eu", mas até então essa terra eu não encontrei.

Hoje tenho paz, mas ainda não tenho direção.
Sempre me pego relembrando. Tudo. Viagens, amor, surtos, tristezas, baladas, beijos, tentativas, frustrações, novas tentavidas, surpresas, e por assim vai.

Procuro um norte, mas não encontro. Insisto, todavia, permaneço sem respostas.

Eu queria me entender. Queria me desvendar. Às vezes, até eu, sou um mistério para mim.
Desejo tanto, quero mais ainda, sonho como nunca, idealizo, espero, luto, vejo acontecer, ou não...

Será que todo mundo é confuso assim ou somente eu???

Estou cansada. Exausta.
Estou ambígua e obscura, e não sei o que fazer ou para onde ir.

Por hora, minha cama me basta, rs. Madrugada adentro, dubiedade que não me deixa, vou ceder aos encantos do sono, não aguento mais lutar contra...

Quem sabe eu acordo com algumas sugestões?

Bjo, bjo

Obs.1 - Dra. Jolie: Para os novos e queridíssimos seguidores, esse é o codinome que uso ao me referir a minha psicóloga maravilhosa.

2 Toda escolha tem seu preço

domingo, 25 de setembro de 2011
"Não consigo molhar os pés apenas
eu mergulho e só paro quando me afogo
eu me queimo e só paro quando derreto
eu me jogo e só paro quando me param."
(Martha Medeiros)


Olá Queridos,

As palavras da Martha Medeiros, por vezes, me servem de consolo. Me identifico demais com o que ela escreve, é como uma válvula de escape para minhas inquietações.

A semana que poderia ter sido repleta de boas lembranças foi em verdade, um mar de tormento, um tsunami.

Em síntese, meu affair com o Paulista já teve o fim decretado.
Inicialmente desisti da viagem pra SP, coloquei meu ingresso para o show do Eric Clapton a venda, tentei desmarcar minhas passagens e cancelar as reservas no hotel. Tudo isso em poucas horas, depois de uma conversa engasgada e atravessada, ainda na quarta-feira, 21/09.

Sou impulsiva. Não nego, nunca neguei, tampouco me envergonho disso. Sou intensa, "não consigo molhar os pés apenas, eu mergulho e só paro quando me afogo, eu me queimo e só paro quando derreto, eu me jogo e só paro quando me param". Não sou passiva, indiferente, insossa ou coajuvante da minha própria história e não vejo problema algum em ser assim.

Eu sou assim e gosto.
A vida é minha e eu a vivo de forma entusiasta, profunda e veemente.
Gostou? Fique.
Não gostou? Vá embora.

Toda escolha tem seu preço. O meu, foi dar adeus a primeira pessoa que mexeu com minhas emoções depois do ex. Um saco, é verdade, mas foi inevitável.
O motivo? "Densidade demais".
Sinceramente, que desculpa esfarrapada hein?!

Sei que as pessoas não lidam bem com algumas posições. As minhas são muito claras, objetivas e definidas. Não sou do tipo que vive um dia após o outro como se não fosse chegar a lugar algum daqui um tempo. Eu projeto. Eu me organizo. Eu estabeleço metas e busco, com todo empenho, alcançá-las.

Não dá pra viver irrefletidamente!  (não sempre).
Nas poucas ocasiões que me pautei pelo lema "deixa a vida me levar, vida leva eu" só me dei mal. Por isso, invariavelmente, tenho em mente um plano A, B, C, D..., uma estratégia, um rumo determinado, ainda que durante o caminho ele possa sofrer alguma alteração.

Se isso é demais para quem está comigo, sorry! Cancei de me adptar às expectativas do outro, à irresponsabilidade e imaturidade alheia. Eu não tenho tempo a perder, já perdi demais. Tô correndo atrás do prejuízo, e não têm sido fácil.

Depois de horas de reflexão mudei de ideia.
Falei com minha chefe e consegui uma liberação pra ficar não apenas 2 dias em SP, mas sim, uma semana. Liguei para uma amiga, que estará lá na mesma época que eu. Badalaremos, faremos compras, conheceremos a Tera da Garoa juntas. Confirmei minhas passagens, retirei o anúncio de venda do ingresso, aumentei a quantidade de diárias no hotel e começei a olhar a programação da cidade.

O Paulista?! Qual? Ainda não conheci. Afinal, a viagem é daqui 16 dias.

Vamos aguardar.

"Quando olho para o meu passado, encontro uma mulher bem parecida comigo - por acaso, eu mesma - porém essa mulher sabia menos, conhecia menos lugares, menos emoções." (Martha Medeiros)

Dicas de eventos, espetáculos, restaurantes, baladas em SP para o final da primeira quinzena de outubro? Desde já agradeço! rs.

Boa semana queridos,

Bjo, bjo
quarta-feira, 21 de setembro de 2011
"Sou tantas que mal consigo me distinguir. Sou estrategista, batalhadora, porém traída pela comoção. Num piscar de olhos fico terna, delicada." (Martha Medeiros)

Boa noite Blogueiros,

Emoções e frisson controlado.
Mente sã e racional.
Saudade do Paulista.
Certeza das inúmeras dificuldades.

Coração aberto.
Não posso limitar o alcance dos meus olhos.
Todo dia é algo novo. Quem sabe alguém novo também?!

Alegria.
Paz.
Sorrisos despretensiosos.
Olhares, nem tanto assim...

Cansaço extremo.
Quase me vejo em completa exaustão.
Trabalho, muito trabalho. Todo dia, toda hora, a todo tempo.
Preciso de força. Inteligência. Destreza. Aptidão. Agilidade.

Hoje estou assim, com pensamentos resumidos em poucas palavras, mas pontuais.
Que a graça de Deus me alcance e Sua misericórdia também. Agora é disso que mais preciso...

Bjo, bjo

0 Fall in Love

segunda-feira, 19 de setembro de 2011
"O meu coração
Já estava aposentado
Sem nenhuma ilusão

Tinha sido maltratado
Tudo se transformou
Agora você chegou

Você que me faz feliz
Você que me faz cantar
Assim"

(Marisa Monte)

Boa tarde Blogueiros,

Novidades urgentes e felizes e intensas e inovadoras e tanta coisa junto ao mesmo tempo! rs.
A história cinematográfica continua e, melhor que o esperado.

Roma/Itália. Sp e Go, Brasil.

Passados dois meses desde que nos conhecemos em Roma, o Paulista, enfim, chegou em Terras Goianas.
O fds juntos reafirmou as suspeitas compartilhadas por ambos. Eu e Ele - química, pele, afinidades. A conversa flui. O riso é constante. O beijo... Tudo, tudo de bom!

Estou feliz e surpreendida. Meu coração se abriu outra vez e dentro dele só pulsa alegria e boas vibrações.
O Paulista me cativou, me encantou e me conquistou... Ele voltou para a Terra da Garoa e em menos de um mês estarei lá, para reencontrá-lo.

Ponte aérea Go-Sp/Sp-Go ainda irá me ver muito!

Deixo com vcs a nova música da Marisa Monte, que descreve bem o que estou sentindo agora.

Torçam por mim!
Já é tempo de ser feliz no amor outra vez.


video


Bjo, bjo!
quarta-feira, 14 de setembro de 2011
"Eu sei que não sou nada e que talvez nunca tenha tudo. Aparte isso, eu tenho em mim todos os sonhos do mundo" (Fernando Pessoa)

Contagem regressiva: Apenas 2 dias!!!!

Roma-Sp-Gyn: um novo sonho...

Bjo, bjo!

PS: Gente como viro as fotos??? Não consigo! =/

0 E se ela se afogar, se recupera.

domingo, 11 de setembro de 2011
“Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.

Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.

Estranho é que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é?

A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?

A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar.

Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera?

E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.

A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente.

Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.”

(Caio Fernando Abreu)


Oi Blogueiros,

Acho que o texto dispensa maiores comentários. Acho que uma frase que representa o sentimento de hoje é a seguinte: "Estranho é que ela já apanhou demais da vida."

Apanhei e cansei. Tô cansada. Cansada das pessoas. Cansada das desilusões. Cansada de perder tempo.
Mas não sou forte, e sim fraca o bastante para não conseguir ter ódio no coração, na alma, na essência.
E é por ser assim que sempre levanto e sigo em frente.

A ordem hoje é NÃO RETROCEDER.

Não retroceder...

Bons sonhos.

Bjo, bjo

0 Vida

segunda-feira, 5 de setembro de 2011
"Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi
E ainda vivo!
Não passo pela vida.
E você também não deveria passar!

Viva!
Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante."

(Augusto Branco)

Boa semana!

Contagem regressiva... 10 dias!
Paulista, Paulista... Uiuiuiui! rs.

Bjo, bjo
Bom dia Blogueiros queridos do meu coração,


Minha cabeça tá a mil. Não estou raciocinando direito.
É um turbilhão de coisas acontecendo ao mesmo tempo.
Às vezes me perco em tudo isso e, não sei qual caminho devo seguir.

Acordei com o coração agitado, com uma saudade maldita... Saudade do beijo, do cheiro, dos olhos dele em mim, do toque, de estar deitada de “conchinha”, de amar tanto, tanto, mas tanto, que até doía.
Saudade dos momentos eternizados numa fração de segundos, aqueles em que o mundo não parecia existir ao nosso redor, só eu e ele. Foda.

Já não dói mais. Já não o amo mais. Mas a saudade, vez ou outra vem me importunar.

Estou levando a vida de solteira muito bem. Tenho conquistado muito. Sinto-me particularmente feliz. Amo-me e me basto, todavia, bem aos pouquinhos a necessidade de amar volta a aparecer.

Sou um ser que é todo coração e meio que dependo dos sentimentos e emoções mil para existir. Não gosto da vida neutra, insossa, sem cor e luz própria, não que isso só seja possível quando se ama, mas é que quando se ama tudo é muito diferente. Muito mesmo. Porém, já não quero mais viver assim.

Confuso né!?

Demais.

O que me assusta em tudo isso é a falta de interesse, a falta de desejo, de vontade de outro alguém. O Paulista é uma exceção, mas creio que isso ocorre tão somente pela aura inexplicável e utópica que nos une. Nada mais.