terça-feira, 20 de dezembro de 2016

"Eu não desisti de nós dois. Longe disso. Eu apenas me lembrei de olhar também para os meus próprios olhos. De não cultivar mais cansadas olheiras por mensagens nunca recebidas. Por pequenas ausências – mas de pesos insustentáveis. Insuportáveis demais para se carregar sozinho. Aos poucos, esmagaram o meu coração. Ainda assim, tenha essa certeza: eu te esperei. Por uma eternidade. Eu esperei por elogios nunca mais recebidos. Por carinhos tão simples como a retribuição do seu sorriso. Ganhei apenas as minhas lágrimas. As noites mal dormidas e os sonhos de um futuro naufragados em mágoas. Gritava. Em troca, recebi silêncios. Mas, saiba. Eu te esperei. Muito além disso, eu te amei. Mas precisava de um amor recíproco para sentar comigo. Por sorte, o meu amor próprio voltou. Ele já andava há muito tempo sozinho." Matheus Jacob



segunda-feira, 24 de outubro de 2016
Ê coração...

0 A Vida Como Farsa

domingo, 4 de setembro de 2016
"Se você o tempo todo mostra ao mundo que tudo, absolutamente tudo, sempre está bem, que as coisas nunca te abalam ou te preocupam. Saiba que o corpo irá te desmentir... As enxaquecas, gastrites, inflamações na garganta, entre outras manifestações, são severos sinas da farsa que você está fazendo da própria vida.

Não adianta tentar colocar um sorriso no rosto se o coração está sangrando. A alma não tolera essa farsa; o corpo irá gritar com os mais variados sintomas: o mioma, o cálculo renal, a taquicardia, infecção urinária sempre são sinais de alerta.

Escute o teu coração e veja sua palpitação. De nada adianta tentar sorrir se não houver alegria na alma. Tente resgatar o que te magoa, tente superar os percalços, mas não faça da vida uma farsa. As consequências sempre são severas. Não veja nas complicações cardiovasculares e nas diversas formas de bronquite apenas meros sintomas físicos... elas também mostram nossa fragilidade diante dos mais diferentes enfrentamentos.

Não adianta calar se o coração quer gritar. O grito contido irá doer nas entranhas da alma e irá machucar as partes do corpo mais sensíveis a tais agressões. E também não grite quando o coração quer silêncio... o espírito se desestrutura diante de barulhos indesejáveis.

Não engula dissabores em nome de que apenas grandes questões devem te preocupar. Não são apenas os grandes dissabores que envenenam a alma e dilaceram o corpo e o coração... também são as pequenas coisinhas que se somam e tornam insuportável o fardo da própria vida...não faça da tua vida uma farsa.

É fatal negar os desígnios do corpo... a enxaqueca é sinal de que a tua tensão excedeu os limites. A gastrite, esofagite, e a sinusite mostram que a tua estrutura emocional sucumbiu diante da razão.

Deixe a emoção se mostrar. Diante da depressão assuma estar deprimido. Diante da angústia viva intensamente o estar angustiado. Tente reverter esse quadro agindo em sentido contrário mas não com falso sorriso e titubeios.

Diante das lágrimas assuma a intensidade do teu choro. Nunca tente negar o que te faz sucumbir. A paz e a serenidade são dádivas do espírito tranquilo. Nunca faça da própria vida uma farsa.

Somos humanos e podemos aceitar o fato de que sucumbimos diante dos problemas que afetam nossa humanidade. As tuas disfunções hormonais e de tiroide são indícios de que você está indo além dos padecimentos que o corpo e a alma suportam.

A vida não tolera farsas. Podemos enganar todos, mas nunca a nós mesmos. A vida quando se torna uma farsa se torna um fardo insuportável. Não deixe sua vida se transformar em uma grande farsa. Recolha tua dor e sorria apenas quando o coração estiver em festa.

Não faça da tua vida uma farsa."

Valdemar Augusto Angerami - Camon


domingo, 21 de agosto de 2016
"Eu fiz uma canção
Pra declarar minha saudade
Usei sinceridade que
Me dá certeza que você
Quando ouvir o meu cantar,
Vai se lembrar que deixou
Do lado esquerdo do meu peito essa dor
Que tá difícil de curar
Tenho certeza que você
De onde ouvir
Meu soluçar em forma de uma canção
Vai se lembrar que nosso amor é tão bom
E que pra sempre vai durar"

Maria Rita 


A., sinto tanto sua falta... =/

0 Vem!

quarta-feira, 13 de abril de 2016
"Eu tentei mas não deu pra ficar sem você

Enjoei de tentar
Me cansei de querer encontrar
Um amor pra assumir teu lugar

É muito pouco,
Venha alegrar o meu mundo que anda vazio, vazio
Me deixa louca
É só beijar tua boca que eu me arrepio,
Arrepio, arrepio

E o pior
É que você não sabe que eu
Sempre te amei
Pra falar a verdade eu também
Nem sei
Quantas vezes eu sonhei juntar
Teu corpo, meu corpo
Num corpo só"

Maria Rita ❤️❤️

http://youtu.be/o32X_DAknMM.

0 digressão

domingo, 10 de abril de 2016


digressão
substantivo feminino
1. ato ou efeito de se afastar, de ir para longe do lugar onde se estava; divagação, viagem, passeio, excursão. 
2.   fig. afastamento, desvio momentâneo do assunto sobre o qual se fala ou escreve.

Cá estou, em meio a uma digressão conflituosa e incomoda.
Sair do centro do problema, afastar-se, olhar de longe, refletir, digerir as informações, para então, posicionar-se.
Primeiro, eu.
Forte, obstinada, guerreira, ousada, corajosa, meio louca até.
Quer me motivar? Me desafie. Me confronte. Me dê obstáculos. Me faça sair da zona de conforto... Darei meu tudo! Levantarei mil possíveis soluções, visualizarei ramificações e caminhos distintos para o que quer que seja, tudo em busca de uma saída palpável e real.
Essa sou eu. É assim que ajo.
Agora, você.
Medo. Medo. Medo.
Pra te fazer fugir? Qualquer mínimo empecilho. Pra te fazer desistir? Um simples “mas”. Enfrentamento? Não é com você, não diante dos problemas. Você, meu amor, escolhe a saída fácil – sim, a fácil! –, você paralisa e então, se esconde. Você desiste.
Você sempre desiste.
Seu foco é o problema. O meu, a solução.
Eu não sei explicar a razão do meu coração eleger você. Ele te elegeu há mais de meia década e ainda hoje não aprendeu que a eleição não é recíproca.
Eu te amo e, apesar de ter todos os motivos para não acreditar em você, DECIDI acreditar. Decidi confiar. Decidi me entregar. Decidi que você e esse amor valeria o risco; o risco de ser destruída, de ter o coração partido em mais partes que da primeira e, também, da segunda vez. Afinal, estamos vivendo nossa terceira (e, última chance).
Me pergunto se você sempre priorizará as dificuldades. Priorizará?
Me pergunto se você sempre fugirá. Fugirá?
Me pergunto se você sempre desistirá de nós. Desistirá?
Me pergunto se você sempre deixará de acreditar na força desse amor e em tudo o que poderíamos viver. Deixará?
Amar não é priorizar as dificuldades.
Amar não é fugir.
Amar não é desistir.
Amar não é deixar de acreditar.
Amar é FICAR.
Amar é LUTAR.
Amar é ACREDITAR.
Amar é AVANÇAR.
E é nessa digressão que me pergunto se você realmente me ama. Porque o amor se demonstra com ação e não com ausência.
O que você fará?
Me amará de verdade ou se omitirá pela última vez?

0 Minha vida

segunda-feira, 21 de março de 2016
"Tem lugares que me lembram

Minha vida, por onde andei
As histórias, os caminhos
O destino que eu mudei

Cenas do meu filme
Em branco e preto
Que o vento levou
E o tempo traz
Entre todos os amores
E amigos
De você me lembro mais

Tem pessoas que a gente
Não esquece, nem se esquecer
O primeiro namorado
Uma estrela da TV
Personagens do meu livro
De memórias
Que um dia rasguei
Do meu cartaz
Entre todas as novelas
E romances
De você me lembro mais

Desenhos que a vida vai fazendo
Desbotam alguns, uns ficam iguais
Entre corações que tenho tatuados
De você me lembro mais
De você, não esqueço jamais"

(Minha vida, Rita Lee)

http://youtu.be/ImKODXtNK4g

De você, não esqueço jamais...



0 Novo bordado

sábado, 12 de março de 2016
"Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, né?!"


Maria Gadú.

video

Seis anos atrás, embalados por essa música, nos conhecíamos.
Nos conhecíamos, nos amamos, namoramos, terminamos, nos odiamos...

Cinco anos após o término nos reencontramos, nos perdoamos, conversamos e novamente a canção nos embala.

De fato, todos caminhos trilham pra a gente se ver. Todas as trilhas caminham pra gente se achar. O desejo de costurar nossas vidas venceu o tempo e as adversidades.

O amor que parecia embotado reencontrou seu fio, e eis que surge um novo bordado, um novo começo.

Um novo eu e você.
 

0 All I want to know is if it's with you...

sexta-feira, 4 de março de 2016
"Tired as hell and falling up the stairs, filled with a thousand cares as you walk out from the bedroom
Though it feels like all my fire has gone, girl you just turn me on
Can't believe how much I want you
You say you know how I'm feeling, I just need to try to settle down

Oh a million faces pass my way
Oh they're all the same, nothing seems to change anytime I look around
Oh who knows just what the future holds
All I want to know is if it's with you"

Million faces, adorável Paolo Nutini.

Perfect to us...

video

1 Segredo mesmo, menos para nós.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016
"Hoje eu acordei com vontade de te ver
Já faz tanto tempo que até assusta
Me assusta não saber nada de você
E não ter com quem falar de mim

Eu mudei o meu cabelo
Me tatuei, troquei de carro e de amor
Tenho alguns bons amigos
E ainda me sinto tão só

Conta um segredo
Como aqueles que nós vivemos juntos
Esquece o enredo
Diz que ainda tem lugar pra nós

Hoje eu acordei com vontade de te ver
Já faz tanto tempo e eu ainda me lembro

Me lembro do teu corpo
E cada canto teu
Há mais do que eu sei
Tão vivo em mim

Me mudei, troquei de emprego
Conheci outros lugares e dores
Já não sou mais tão menina
E ainda me sinto tão só

Conta um segredo
Como aqueles que nós vivemos juntos
Esquece o enredo
Diz que ainda tem lugar pra nós"

(Segredo, Sandy).

Dias atrás, voltando de uma viagem essa música tocou no rádio; a mente deu um loop e fui levada a lugares bem distantes.
Realmente faz tanto tempo que até assusta. 
De fato, mudei o meu cabelo,  me tatuei (mesmo!), troquei de carro e de amor. Conheci outros lugares e dores, já não sou mais tão menina e ainda me sinto tão só...
A música toda pareceu contar os pensamentos que tem dirigido meus dias.
Um misto de alegria | alívio | medo | tensão me invadem.
O afastamento racional e necessário, por vezes abre espaço para dúvidas e "ses".
Tantos anos se passaram e algumas emoções parecem as mesmas de outrora.
Maluquice é o coração...

0 E depois de 3 anos longe... voltei!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016
"She said that hearts can't break themselves
Looking for something, leaving with nothing
But souls can't save themselves
Learning to fly, sweet mother of mine!
Be a long home without you
It's just a long way home without you"

(Looking for something. Paolo Nutini).

Caraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaalho de asa!

Queridos blogueiros, me perdoem o palavrão, mas foi/é necessário.

O "Meu infinito particular, se perca ao entrar" foi criado em novembro/2008, e por razões que eu mesma descrevi anteriormente, em março/2013 o interrompi, por um período que cheguei a acreditar que seria "para sempre". Doce e ácida ilusão...

Passados 3 anos, cá estou novamente, com direito a não apenas reativar o blog, mas TODOS os (quase 300) posts que deram vida a cada palavra escrita e compartilhada pela Srta. Caroline.

O motivo? Os?

Vários!

Saudade de escrever, saudade de extravasar todo o sentimento e emoções contidas ao longo de todos esses anos, e saudade também de me ler: acompanhar a evolução, os altos e baixos, a mudança das estações, dos amores e de tudo mais...

Se houve um estopim pra tudo isso? Uma gota d'água que transbordou? Então, teve.

Um reencontro.

De novo, e de novo, você ex. O grande amor de 2010, a grande desolação de 2011, a confusão de 2012, a desesperança de 2013 e - não sei qual palavra descreve o reencontro - de 2016.

Foi você, ao ler um antigo post meu (o qual mantém um print guardado) que despertou o desejo incontrolável de recuperar o blog e tudo o que ele representa pra mim: liberdade, paixão, dor, escrita, vida, um infinito muito próprio: o meu.

Voltei e não posso assegurar o que aguarda o blog: retomada constante das publicações, surtos espaçados (haha!), ou mera carícia ao bibelô tão amado e precioso pra mim...

Por hora importa estar aqui, viva, cheia de energia, palavras e emoções pra compartilhar. Ah! E música também! Estou atualmente viciada pelo Paolo Nutini! (PS: ouça a música acima!).

Um beijo imenso a quem está aqui por acaso, a quem tão carinhosamente ainda me segue virtualmente e também a você, ex.