Estaca a zero

domingo, 3 de abril de 2011
Desespero total!
Tem alguma coisa pior que sair num sábado a noite, ir pra uma boate e se deparar com o ex na hs?

Aff...
Que desespero! Que desespero!

A vontade de falar com ele, o medo de vê-lo com outra, os amigos da época do namoro ali, o ex-cunhado e a namorada - pessoas que adoro!, enfim, que merda!

Gente passei um dia péssimo e a noite só piorou tudo.

Depois de tanta insistência resolvi aceitar o convite de uma amiga, e sair com uma galera super legal pra uma boate super badalada daqui. Chego lá, vejo gente bonita e começo a dançar: a libertação. Passado algum tempo, eis que passa do meu lado o ex-cunhas.

Eu: 1ª Pergunta: Ah não!? Não me diga que ele tá aqui?!

Ex-cunhas: Tá Sara, bem ali (e apontou o lugar). É aniversário de fulano e tá td mundo aqui.

Eu: Eu tb vim pra um niver. Não quero encontrá-lo! Eu o amo, mas ele me deu um pé na bunda!!!

Ex-cunhas: Esquece ele! Ele não sabe o que quer da vida, não se encontrou na sua própria vida, ele não te merece, não sofra! Curte a vida e seja feliz. Procure alguém melhor, ele é um problema, vc sabe disso. Enquanto ele não aprender a se relacionar consigo mesmo, ele não saberá se realcionar com ninguém. (disse algo mais ou menos assim...)

Eu acabei mudando de assunto e logo depois o ex-cunhas saiu. Fiquei procurando o ex até encontrá-lo.

Que merda!!!

Estava começando a curtir a noite, a dançar (algo que adoro!), a sorrir, mas depois disso perdeu a graça.

Resultado: decidi ir embora. Me despedi do povo e fui saindo. Parei e perguntei pra minha amiga: falo ou não falo com ele?

Ela: Fala. Só diga um oi e avisa que já tá indo e só queria se despedir. Nada mais!

Eu: Ok. (Mentira).

Fui lá. Ele conversando com 2 mulheres. Falei oi e ele me deu um abraço. Falei que estava indo, que eu havia o visto e não dava pra continuar ali.

Ele disse: Não faça isso. Não faz isso comigo. Não faz isso com vc.

Eu: Ãããn??? Olha eu quero ficar com vc e sei que isso não vai acontecer. É melhor eu ir embora, não dá pra ficar aqui.

Ele: Não diz isso. É crueldade comigo.

Eu: Queeeeee???? Crueldade????? Crueldade é o que vc tá fazendo comigo! Eu te amo.

Ele: Não diz isso. Não faz isso com vc.

Eu: Então o que eu devo fazer, me diz? Pq eu não sei.

Ele: Não faz isso. Olha nós já conversamos e eu já te disse td o que eu tinha pra dizer.

Foi como um tapa na minha cara. Fiquei sem reação. Não pude, nem consegui fazer nada. Depois disso, virei as costas e sai. Assim mesmo, sem dizer nada.

Que merda. Que dor. Que saudade dele! Do seu cheiro, do beijo, de tudo. Quanto sofrimento. Quanta desilusão. Quanto amor...

Cheguei em casa sem eira nem beira. Não dormi nada essa noite. Acordei engasgada, com o estômago revirando, com essa dor no peito e a vontade de escrever.

Cá estou, me expondo vexatoriamente. Mostrando minha humilhação de forma pública. Minha dor, meu lamento, meu desespero.

Não sei mais o que fazer. Estou de volta a estaca a zero.

1 comentários:

Ácidas e Doces Says:
15 de abril de 2011 15:03

Guria do céu

Que caos!