“O essencial é invisível aos olhos” (Antonie de Saint-Exúpery)

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Bem, há dias não tenho escrito, especialmente pela falta de tempo.
As duas últimas semanas foram intensas pra mim.
A primeira se deve ao fato de um importante reencontro. Um amigo muito querido, que não via há mais de “ano e dia” (linguagem jurídica – rs), esteve por aqui.
Os dias que estivemos juntos foram maravilhosos. Pudemos compartilhas tantas coisas que Deus tem feito, tantas experiências, sonhos, muitas risadas, passeios, música, enfim... Matamos a saudade.
Entretanto, passados uns poucos dias, ele retornou a sua Terra natal, e eu já sinto sua falta.
A última semana foi igualmente acelerada. Agora, com muitos compromissos profissionais, e no fds, o desfecho amoroso (rs).
Nos dias 26-28 de agosto, tive o privilégio de participar do Congresso Pan Americano de Direito Processual, aqui mesmo, na cidade do meu coração. Foram dias de muito aprendizado e crescimento. Processo Civil é um estudo inesgotável e complicado. Definitivamente.
Sem mais delongas, rs, vou a parte mais interessante e marcante do mês de agosto...
O Príncipe Encantado.
Sabiamente, Antonie de Saint-Exúpery exprimiu em seu livro “Le Petit Prince”, originalmente francês, princípios para nortearem toda uma vida. Uma frase célebre da referida escritora é o título dessa postagem:

“O essencial é invisível aos olhos”

Com razão Saint-Exúpery.
O que realmente importa, escapa ao nosso controle.
Não é possível tatear ou aprisionar para garantir-nos maior segurança.
O essencial é invisível aos olhos, e altamente perceptível ao coração.
Digo isso, fundando-me em duas premissas. A primeira, Deus. A segunda, o Amor, que também é Deus.
Não se pode definir – Deus, em poucas palavras ou conceitos rasos e frágeis. O Amado de minh’alma se encaixa perfeitamente ao princípio apontado alhures. Invisível aos olhos, porém, totalmente essencial ao coração. Onde todas as coisas tem início e fim naquEle que nos amou primeiro. Ora, Tudo é por Ele e para Ele. E eu, sou dEle. Para todo o Sempre.
O segundo aspecto, igualmente incontrolável e fundamental é o Amor.
Falar de Amor pode fazer qualquer um pensar: “hummm, acho que essa minina ta apaixonada...” (rs), e na verdade, não estou. Mas me decidi.
Decidi me abrir novamente ao Amor.
Decidi arriscar. Ficar na berlinda do coração (rs).
Afinal, de que adianta “Ganhar o mundo inteiro, se eu não tiver Amor?”.
Não vale a pena. Não quero me tornar dura e seca, vazia e solitária. Quero ser um jardim florido, cheia de alegria! Rs.
Por isso, estou à espera do meu Amado, do Príncipe Encantado, que ainda não sei quem é. Bate forte, dentro de mim, a certeza que ele também está a minha espera. Encontraremos-nos, em breve...
O essencial é invisível aos olhos, mas não ao coração.

2 comentários:

juristaelder Says:
1 de setembro de 2009 11:59

Mais uma vez, me perdi ao entrar (no seu infinito particular)...
Beijos

Sara Caroline Says:
1 de setembro de 2009 12:51

rsrsrsrsrsrsrsrs. A idéia é essa. Se perca. Sempre.