Homem de Lata

segunda-feira, 8 de outubro de 2012
É curioso como a vida pode se voltar contra si.
É irritante o quanto o blog já se voltou contra mim.
Palavras, pequenas, palavras apenas...

Estou sumida, cansada, irritada, desgastada, de "saco cheio" e só, muito só.
Trabalho, estudo, dedicação, entrega, busca desenfreada pelo conhecimento.

Solidão.

Solidão é estar rodeada de pessoas, ter - ainda que momentaneamente alguém (non plus mon chèr) e, apesar de tudo, se sentir só.

É ver os dias passarem, mais um ano solitário, conhecer um monte de gente nova, bacana, interessante e você ali, na sua zona de conforto, na sua redoma de vidro que ninguém consegue transpor (hoje, sequer você consegue isso).
É ter se tornado tão independente, tão auto-suficiente, tão "dona do seu próprio nariz" e tão  cheia de razão, argumentos, experiência e muito blá blá blá, que no final das contas não valem nada, tampouco satisfazem o ego, a carência e a necessidade de se estar a dois.

É horrível perceber que tanta mudança, tanto esforço e sacrifício não trouxeram tanta coisa boa assim. Ao inverso disso, te distanciaram da realidade, das pessoas e especialmente, do amor.

Depois de tudo, não consigo relaxar, não consigo baixar a guarda, não consigo confiar. Me tornei o Homem de Lata, do Mágico de Oz, feita de aço da cabeça aos pés e que só busca um coração.

Será que um dia vou conseguir ouvir meu coração bater outra vez?

1 comentários:

Anônimo Says:
27 de dezembro de 2012 22:41

Vai sim, Carol! Dont stop believing